Cooperativismo

O que é?

Cooperativismo é um movimento econômico e social, entre pessoas, em que a cooperação baseia-se na participação dos associados, nas atividades econômicas (agropecuárias, industriais, comerciais ou prestação de serviços) com vistas a atingir o bem comum e promover uma reforma social dentro do capitalismo.

PRINCÍPIOS DO COOPERATIVISMO:

       1. Adesão livre e voluntária

Cooperativas são organizações voluntárias abertas a todas as pessoas aptas a usar seus serviços e dispostas a aceitar as responsabilidades de sócios, sem discriminação social, racial, política ou religiosa e de gênero.

        2. Controle democrático pelos sócios

As cooperativas são organizações democráticas controladas por seus sócios os quais participam ativamente, no estabelecimento de suas políticas e na tomada de decisões. Homens e mulheres, eleitos como representantes, são responsáveis para com os sócios. Nas cooperativas singulares os sócios tem igualdade na votação (um sócio um voto); as cooperativas de outros graus são também organizadas de maneira democrática.

        3. Participação econômica dos sócios

Os sócios contribuem de forma eqüitativa e controlam democraticamente o capital de suas cooperativas. Parte desse capital é propriedade comum das cooperativas. Usualmente os sócios recebem juros limitados (se houver algum) sobre o capital, como condição de sociedade. Os sócios destinam as sobras aos seguintes propósitos: desenvolvimento das cooperativas, possibilitando a formação de reservas, parte dessa podendo ser indivisíveis; retorno aos sócios na proporção de suas transações com as cooperativas e apoio a outras atividades que forem aprovadas pelo sócio.

        4. Autonomia e independência

As Cooperativas são organizações autônomas para ajuda mútua controladas por seus membros. Entretanto, em acordo operacional com outras entidades inclusive governamentais, ou recebendo capital de origem externa, elas devem fazê-lo em termos que preservem o seu controle democrático pelos sócios e mantenham sua autonomia.

        5. Educação, treinamento e informação

As cooperativas proporcionam educação e treinamento para os sócios de modo a contribuir efetivamente para o seu desenvolvimento. Eles deverão informar o público em geral, particularmente os jovens e os líderes formadores de opinião, sobre a natureza.

         6. Intercooperação

As cooperativas servem de forma mais eficaz aos seus membros e dão mais força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, através das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais.

       7. Interesse pela comunidade

As cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado das suas comunidades, por meio de políticas aprovadas pelos membros.

 

Principais direitos aos cooperados:

Freqüentar as assembléias gerais, decidindo os assuntos de interesse da sociedade.
Votar e ser votado para cargos administrativos, fiscais ou outras funções.
Participar das atividades econômicas, sociais e educativas.
Ser consumidor e usuário dos serviços oferecidos pela cooperativa.
Receber retorno proporcional das sobras.
Examinar livros, documentos e solicitar esclarecimentos aos dirigentes.
Convocar assembléia extraordinária, caso se faça necessário, conforme estabelecido no estatuto.
Obter, antes da realização da assembléia geral, balanços financeiros, demonstrativos e relatórios.
Retirar seu capital ao sair da sociedade, de acordo com o estabelecido no estatuto.
Principais direitos aos cooperados:
Respeitar as decisões votadas nas assembléias porque representa a vontade da maioria.
Pagar o compromisso da cota de capital fixada.
Zelar pelo interesse comum e autonomia da sociedade.
Colaborar no planejamento, funcionamento, avaliação e fiscalização das atividades.
Debater idéias e decidir pelo voto os objetivos e metas de interesse.
Denunciar os procedimentos indevidos que existem na sua cooperativa.
Pagar sua parte, caso ocorram perdas financeiras na operação da sua cooperativa.
Estimular a integração da cooperativa com o movimento cooperativista.
Buscar capacitação profissional para o desempenho de suas atividades.



Pinheiros: Símbolo da imortalidade e da fecundidade, pela sua sobrevivência em terras menos férteis e pela facilidade na sua multiplicação. Os pinheiros unidos são mais resistentes e ressaltam a força e a capacidade de expansão.

Círculo: representa a eternidade, pois não tem horizonte final, nem começo, nem fim.

Verde: Lembra as árvores - princípio vital da natureza e a necessidade de se manter o equilíbrio com o meio-ambiente.

Amarelo: simboliza o sol, fonte permanente de energia e calor.

Assim nasceu o emblema do cooperativismo: um círculo envolvendo dois pinheiros, indicando união do movimento, a imortalidade de seus princípios, a fecundidade de seus ideais e a vitalidade de seus adeptos.


História do Cooperativismo



VEJA TAMBÉM

Institucional Princípios e Valores Estrutura da companhia Conselho de administração e fiscal Área de atuação Galeria de presidentes Investimentos no sistema elétrico Programas Sociais Ambiental Demonstrativos Pleito Tarifário Cooperativismo Notícias e Eventos



FAQ
 
Avenida Padre Herval Fontanella, 443 - Bairro Centro - Jacinto Machado/SC.